#Saia pra quem te quero!

Apesar que atualmente tenhamos muitas outras opções de vestuário, as saias sempre estarão em nossas mentes and corações! Querendo ou não, elas nos dão um ar de feminilidade, um ar mais “angelical” digamos. Então por que não conhecer os tipos de saia existentes?

Alguém já se esqueceu? O balonê é aquela técnica em que o tecido é costurado em camada dupla, adicionando bastante volume e estrutura à peça (dependendo da maleabilidade/rigidez do tecido). O balonê esteve em alta em meados de 2007 e caiu no limbo depois de ser usado à exaustão. Nunca se sabe quando ele pode voltar (e não duvide, TUDO VOLTA!).

Ao contrário do que se pensa, o balonê não só cai bem nas garotas magras e proporcionais, como também pode dar certo em quem tem o quadril largo. Nesse caso, o volume natural do quadril fica “abrigado” dentro da estrutura do balonê. Ao se olhar a vestimenta como um todo, parecerá que o volume na região inferior do corpo é advindo da estrutura da peça (e não do quadril grandão que está embaixo, bem acomodado!)

O tecido da saia, plissado, tem o efeito parecido com uma sanfoninha: parece que recebeu várias dobraduras (e recebeu, de fato!). Muita gente confunde plissado com pregas, mas o plissado é um efeito aplicado no próprio tecido, já as pregas são feitas na hora da costura. Por isso mesmo é recomendado comprar peças plissadas de tecido sintéticos, para não correr o risco de perder o efeito depois da lavagem do tecido.

Godê (flare skirt) está mais para uma modelagem do que para uma textura de saia. Elas não tem pregas marcadas e são bem rodadas. São as típicas saias dos 1950′s e 1960′s. Acho que, apesar do volume, o modelo pode cair bem em quem está um pouco acima do peso ou tem quadril largo, pois a saia é bem soltinha (não evidência as reais formas do corpo) e demarca a região da cintura.

As saias drapeadas têm como principal característica o efeito “enrugado” do tecido,costurado propositalmente dessa maneira. Tal influência vem, em grande parte, dasvestimentas grecoromanas.

Ficam bem ajustadas ao corpo sem ficarem deselegantes. Mas quem está acima do peso tem que tomar cuidado com o volume extra que o drapeado adiciona automaticamente à silhueta. Por outro lado, dependendo do local em que está posicionado,o drapeado pode ajudar a disfarçar imperfeiçõesJá as magrinhas podem e devem abusar dessas saias, pois neste caso elas ficam bem justas sem evidenciar o corpo de uma maneira vulgar.

As românticas saias de babados têm aparência variada, dependendo da constituição dos babados: regulares, irregulares, em camadas, com textura suave ou em rufos.

Como também adicionam mais volume à silhueta, pessoas com quadril mais largo (ou acimas do peso) devem ter cuidado redobrado ao usá-las. Tops mais sequinhos caem melhor com este tipo de saia.

Nas saias retas, o tamanho da região da cintura não difere tanto do tamanho da barra. Esse tipo de saia é o mais básico de todos e, por isso, ideal para ser usado com tops mais volumosos e chamativosNão creio que este modelo de saia seja muito aconselhável para quem tem o corpo mais quadrado, pois não dá  devido destaque à região da cintura.

As democráticas saias evasês (ou saias em A), costumam cair muito bem em todos os tipos de corpo (principalmente em quem tem o quadril mais largo). Elas são mais estreitas na região da cintura e mais amplas na parte inferior do corpo (e é por isso que disfarçam e acomodam o volume do quadril!).

Saias tulipa são extremamente belas. Têm a barra mais estreita e ajustada ao corpo e o volume fica na parte superior da saia. É o modelo ideal para mulheres altas e bem magrasque querem aparentar ter medidas extras no quadril e no bumbum (pois é justamente esta a impressão que a saia dá). Agora, caso contrário, é melhor fugir da modelagem, que só tende a desfavorecer quem já tem o quadril e o bumbum avantajados por natureza!

Saia lápis é aquela famosa saia de executiva… justa ao corpo, afunila desde a cintura até as coxas e costuma cair muito bem em corpos proporcionais (tipo ampulheta) ou em mulheres magras. Mas se o quadril for largo demais, a saia corre o risco de ficar enrugando nesta área e subindo cada vez mais ao andar, gerando um enorme incômodo.

Nos dias atuais, para sair do clichê, a grande pedida é misturar o clássico modelo a peças mais casuais, como camisetas descontraídas, usadas com sapatilhas e outros calçados além do scarpin!

Basicamente, esses são os dez tipos de saias existentes (ou pelo menos, os mais conhecidos). Nas fotos, só foram mostradas saias médias e curtas, mas vale lembrar que todas essas modelagens existem em diversos comprimentos, incluindo os longos, que estão super em alta, hein?!

Mas o que importa mesmo é que agora ninguém mais ficará perdida ao ouvir a avó dizer:“que linda aquela sua sainha godê, netinha” e nem irá confundir novamente plissado com drapeado (ou ainda, com “pregueado”)… Mas tenham em mente que esses mesmos tipos de saias várias vezes se misturam. Saias drapeadas costumam ter modelagem tulipa (ou lápis) e saias plissadas geralmente são evasês. Mas, pelo menos… o bê-a-bá agora gente já sabe!

E fica a pergunta: Qual o seu tipo de saia preferido?

Beijos mil girls!

Anúncios

Um pensamento sobre “#Saia pra quem te quero!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s